segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Show de rappers e repentistas encerra Cara e Cultura Negra 2008


A programação elaborada para o encerramento do Festival Cara e Cultura Negra e a comemoração do Dia da Consciência Negra será aberta às 18h desta quinta, pelo DJ Chokolaty. Na seqüência, haverá batalha de rap, peleja de repente, peleja de repente e rap, apresentação de Ataque Beliz e de Beto Brito. O encerramento, às 22h, será com show da cantora paulistana Negra Li.

Diva da black music nacional, Negra Li (Liliane de Carvalho) nasceu na Vila Brasilândia, Zona Norte da capital paulista. Ainda pequena, descobriu sua voz cantando hinos na igreja que freqüentava com a mãe e em brincadeiras de criança. Com 14 anos, fez curso de teatro e, por três anos, integrou o coral da USP. Aos 16 anos, chamada para fazer parte do grupo de rap RZO, obteve grande destaque.

Com a participação no clipe da música Não é sério, da banda Charlie Brown Jr., a cantora se tornou conhecida no Brasil e, em 2003, assinou contrato com a Universal Music, tornando-se a primeira cantora brasileira de hip hop a conseguir tal feito. Em 2004, lançou o CD Helião & Negra Li e emplacou o hitGuerreiro & guerreira. Dois anos depois, exibiu versatilidade como atriz em Antônia, o bem-sucedido seriado da TV Globo, e no longa-metragem homônimo que estreou em seguida, com direção de Tata Amaral.

Ainda em 2006, Negra Li gravou e lançou o primeiro álbum solo, intitulado Negra livre, que trouxe sucessos como Você vai estar na minha, Mundo jovem, Meus telefonemas (parceria com Caetano Veloso) e a faixa-título. No ano passado, ela levou o hip hop brasileiro para Angola e Japão. Agora, em nova fase da carreira, criou novo formato para o show que apresenta, com o acompanhamento da banda que conta com baixo, guitarra, teclado e mais backing vocals e o DJ Hadji, que toca com ela há algum tempo.

“Depois de muitas horas de ensaio, vou estrear esse show em Brasília. Durante a apresentação, faço uma retrospectiva da minha trajetória, desde os tempos do RZO, passando pela parceria com o Helião, Antônia, até chegar ao Negra livre. Vou mostrar, também, músicas inéditas que farão parte do próximo trabalho”, anuncia. Para a cantora, a comemoração do Dia da Consciência Negra “é um momento de reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e de tudo o que nossos antepassados sofreram até os dias de hoje. Neste ano temos uma coisa muito especial para comemorar: a eleição de Obama para presidente dos Estados Unidos”.

fonte: http://divirta-se.correioweb.com.br/materias.htm?materia=5280&secao=Programe-se&data=20081120

Um comentário:

vanessa disse...

Maravilhosa, será um sucesso como sempre!!!!!!!!
Muito a comemorar mesmo, muito talento e originalidade pra nquem sabe fazer música!!!!!!!
Parabéns e sucesso sempre!"
Bj Van